ARTE E PSICOLOGIA: RELAÇÕES E POSSIBILIDADES EM INTERVENÇÕES TERAPÊUTICAS

Autores

  • Renata Magalhães Naves UFG

{$label}:

Psicologia; Arte; Processo psicoterapêutico

Resumo

O presente estudo teve como objetivo  analisar como o uso da arte e dos recursos artísticos pode contribuir nas intervenções terapêuticas, colaborando para uma reflexão acerca do potencial artístico para a compreensão do humano, a partir de seu vivido e como reinvenção de vida. O referencial metodológico foi o paradigma qualitativo e contou com a participação de seis profissionais de Psicologia de regiões distintas do país, de diferentes faixas etárias e tempos de graduação. A construção dos dados ocorreu por meio de entrevistas via plataforma Zoom, em horário pré-estabelecido entre o pesquisador e os entrevistados, com o uso de um roteiro semiestruturado. Os resultados permitiram a construção de cinco categorias:  O encontro com a arte e escolha como recurso terapêutico na prática profissional; O fazer artístico e a criatividade; Recursos artísticos no processo psicoterápico; Depressão, a “Doença do Século” e a Contribuição da arte no processo terapêutico. Neste estudo, foi evidenciado que a arte funciona como mediadora na comunicação do terapeuta com a subjetividade de seu paciente/cliente,  possibilitando uma melhor compreensão das suas questões contextuais para conduzí-lo ao autoconhecimento e na elaboração dos conteúdos de modo que propicie novas formas de enfrentar determinadas situações conflitantes em seu cotidiano.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BARROCO, S. M. S. & SUPERTI, T. Vigotski e o estudo da psicologia da arte: contribuições para o desenvolvimento humano. Psicologia & Sociedade 26(1), 22-31, 2014. Recuperado de: https://www.scielo.br/j/psoc/a/vr5bbMpFznNZRsVTMJFxVqN/?lang=pt

BARROS, M., & FERREIRA, L. (2016). A arte como estratégia de intervenção psicoterapêutica: I Simpósio Científico De Práticas Em Psicologia. Psicologia E Saúde Em Debate, 2(Supl. 1), 1–4. 2016. Recuperado de: https://doi.org/10.22289/2446-922X.V2S1A1

BIEN, E. S. G. Psicologia Histórico – Cultural, atendimento a grupos e a Arte como estratégia psicoterapêutica: os olhos nas imagens e o olhar para a vida. Dissertação de Mestrado não publicada, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2017. Recuperado de : http://www.ppi.uem.br/teses-e-dissertacoes-recuperadas/emanuelle-da-silva-gatto-bien-psicologia-historico-cultural-atendimento-a-grupos-e-a-arte-como-estrategia-psicoterapeutica-os-olhos

COSTA, W. G. T., & LEAL, R.G. Psicologia histórico – cultural e indivíduo em depressão: Compreensão e possibilidades de enfrentamento. Trabalho apresentado no 26º Encontro Anual de Iniciação Científica/ 6º Encontro Anual de Iniciação Científica Júnior, Maringá, PR, 2017.

CRESWELL, J. W. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.Ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

FARIA, P. M. F., DIAS, M. S. L., & CAMARGO, D. Arte e Catarse para Vigotski em Psicologia da Arte. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 71 (3), 152-165, 2019. Retirado de: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672019000300012

FORTIM, I. Arigato, Mangakás! Animangás no Brasil. Em Fortim, I. (Org.) Mangás Animes e a Psicologia, p. 10 – 11. São Paulo: Homo Ludens, 2017.

FRANÇA, D.C.H., PINTO, K. G., RODRIGUES, R. A. L., LINO, A. L. P., HONORIO, M. d. S., & CARVALHO, E. L. F. . Análise Bioestatística da adesão da Arteterapia como meio para alcançar a cura e tratamento de doenças no Estado de Goiás. Revista Interação Interdisciplinar, 3(1), 118-128, 2019. Recuperado de: https://www.unifimes.edu.br/ojs/index.php/interacao/article/view/596

GIRALDEZ-HAYES, A. Artes y bienestar psicológico: Las artes como intervenciones positivas. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, 4 (20), 72-85, 2020. Retirado de: https://doi.org/10.35699/2237-5864.2020.20711

JONES, R. H. A Criatividade sob a ótica da psicologia histórico – cultural: uma tentativa de superação de suas múltiplas concepções. Dissertação de Mestrado não publicada, Universidade Federal do Paraná, 2017. Retirado de: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/48228

LOIOLA, R. D., & ANDRIOLA, C. J. A Arteterapia como Instrumento do Psicólogo na Clínica. Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 11(35), 18 – 31, 2017. Retirado de: https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/708/1038

MARQUES, I. A.. Nise da Silveira: O Pioneirismo na Terapia com Arte- Educação no

Brasil (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal do Paraná- UFP,

Matinhos, Paraná, PR, Brasil, 2019. Recuperado de: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/50295

MARTINELI, T. A. P., & ALMEIDA, E. M. Contribuições da concepção vigotskiana de arte para o ensino da cultura corporal. Psicologia Escolar e Educacional, 21(3), 523 – 531, 2017. doi: 10.1590 / 2175-3539 / 2017/021311194

MENDES, C.; FRISON. C. F.; & SUPERTI, T. A arte como técnica social para a humanização: objeto cultural mediador para o desenvolvimento e transformação das funções psíquicas superiores (sentimento e emoção). Akrópolis Umuarama, 25(2), 139- 151, 2017.

NAVES, R. M. Experiência estética e posicionamento ético: a arte com crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. (Tese de Doutorado) - Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

OLIVEIRA, R. B. Recorte e colagem como técnicas expressivas das artes plásticas na educação e na arteterapia. Monografia de especialização em Arteterapia publicada, Universidade Candido Mendes – AVM Faculdade Integrada, Rio de Janeiro, 2012. Retirado de: http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/c207002.pdf

PEDRO, L. G., & PESSOA, C. T. A arte na formação profissional do psicólogo e do professor: Possibilidades e Reflexões. Trabalho VIII Encontro de Pesquisa em Educação – III Congresso Internacional – Trabalho Docente e Processos Educativos, Uberaba, MG, 2015.

PEREIRA, M. S. M. Artetrapia na depressão: O resgate do equilíbrio emocional. Monografia de especialização em Arteterapia em Educação e Saúde publicada,Universidade Candido Mendes, Niterói, 2009. Retirado de: http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/n202682.pdf

REIS, A. C. (2014). Arteterapia: A Arte como Instrumento no Trabalho do Psicólogo.

Psicologia: Ciência e Profissão, 34(1), 142-157. doi:10.1590/S1414-98932014000100011

REIS, A. C. & ZANELLA, A. Arte e vida, vida e (em) arte: entrelaçamentos a partir de Vygotsky e Bakhtin. Psicologia Argumento, 32(79), 97-107, 2014. doi: 10.7213/psicol. argum.32.S01.AO09

RIBEIRO, M. A. G. Concepções e Funções da Arte na Arteterapia. Dissertação de Mestrado não publicada, Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Brasil, 2002. Retirado de: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/1937

SANT'ANNA, P. R., GEBER, S. P., & TETU, V. Contribuições da psicologia da educação: percepção de professores do ensino fundamental I. Psicologia da Educação, (49), 79-87, 2019. Doi: 10.5935/2175-3520.20190021

SANTOS, F. M., BARBOSA, H. D. DE A., SANTOS, C. C., & ALBERTO, D. P. S.. O Lazer e a Arteterapia como Coadjuvantes no Tratamento da Depressão em Belém-PA. LICERE -

Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 23(3), 485–522, 2021 . Recuperado de https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.24866

SILVA, R. B. F., PASA, A., CASTOLDI, D. R., & SPESSATTO, F. O Desenho da Figura Humana e seu uso na Avaliação Psicológica. Psicologia Argumento, 28(60), 2017. Retirado de https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento/article/view/19837/19143

SOUZA, V. L. T, DUGNANI, L. A. C., & REIS, E. C. G. Psicologia da Arte: fundamentos e práticas para uma ação transformadora. Estudos de Psicologia (Campinas), 35(4), 375- 388, 2018. http://dx.doi.org/10.1590/1982-02752018000400005

TRINDADE, M. T. S. Desenhando criativamente: O papel da Arteterapia no desenho criativo. Monografia de especialização não publicada, Universidade Candido Mendes, Rio de Janeiro, 2006. Retirado de: http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/N171437.pdf

VYGOTSKY, L. S. (1988). A Formação Social da Mente (2ª ed). Tradução José Cipolla Neto, Luis Silveira Menna Barreto e Solange Castro Afeche. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

VYGOTSKY, L. S. Psicologia da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

Publicado

2022-07-05